Blogup
   



BRASIL, Nordeste, NATAL, RIBEIRA, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, French, Livros, Esportes
Outro -
Histórico
Outros sites
UOL - O melhor conteúdo
BOL - E-mail grátis
Perto do Coração Selvagem
nozarte
telescopionegro
queridoleitor
carloscareqa
linaldoguedes
blocosonline
marialimeira
abba
revistapoetizando
waldir leite
poetasdeguarulhos
blônicas
marcelotas
Soraia direto...
la vie est belle
Blog do André
Gerald Thomas
Flavia Lippi
stockadas
avant_derniere
diariosdenuvens
tabua de mares
almadobeco
alfabeto
subhadro
spmetrople
leiluka
focando
numerologia
babalaika
benito barros
seicho-no-ie
rodrigo hammer
mensageiros
barreiras-diogolopes
marcos caiado
mixbrasil
abran
overmundo
dalai lama
marcelo eliab - astrólogo
osho
nalatadopoeta
regina barros
libertas
joão paulo cuenca
tribuna do norte
cora ronai
avenida copacabana
laura vive
jornal de hoje
jornaldehoje
radar potiguar
caros amigos
carosamigos
thestonewall
bbc - brasil
kibeloco
pensar enlouquece
blog de marcelo coelho
fernando pessoa
sentimentos - vanilde rego
luz de luma
luiz carioca
somostodosum
100querer
palavra e destino
blog do renato
inspirais - patrícia
google
deunojornal
rasuras (ana peluso)
altavista
rascunhos e acabados
sampafobia
um ser diferente
no divã com marcelo ribeiro
guga cruz
alexsens
alexsens II
lino resende
trajedia ( gabriel )
lilita livre
marcelino freire
santiago nazarian
portal g1
coisas do bem
dicas do bem
janmedeiros
tião maia
impressões de fevereiro
conversa afiada
moura ao luar
fina flor ( monica montone)
contos bregas
antônio cícero
eucanaã ferraz
patrício júnior
blairponjinha
a gente sempre tenta
certos dias
caulus
prozac com fanta uva
tereza bresani
bombando
orientação - psi
jean wyllys
bresani
diversos-afins
alex sens
pre-historia-nordestina
relatoriodacoisa
franklin jorge

Votação
Dê uma nota para meu blog

 


ouço agora: " quem acredita,sempre alcança..."

Escrito por Tertu às 09h32
[] [envie esta mensagem] []






Discografia / Letras


V
Love Song
Metal Contra As Nuvens
A Ordem dos Templários
A Montanha Mágica
O Teatro dos Vampiros
Sereníssima
Vento no Litoral
O Mundo Anda Tão Complicado
L'Âge D'Or
Come Share My Life
Período de Gravação:
Outubro a Dezembro de 1991

Data de lançamento:
15 de dezembro de 1991

Vendagem:
700 mil cópias.

Vento No Litoral
Letra: Renato Russo
Música: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá

De tarde quero descansar, chegar até a praia
Ver se o vento ainda está forte
E vai ser bom subir nas pedras.

Sei que faço isso para esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando tudo embora

Agora está tão longe
Vê, a linha do horizonte me distrai:
Dos nossos planos é que eu tenho mais saudade,
Quando olhávamos juntos na mesma direção.

Aonde está você agora
Além de aqui dentro de mim?

Agimos certo sem querer
Foi só o tempo que errou
Vai ser difícil sem você
Porque você está comigo o tempo todo.

E quando vejo o mar
Existe algo que diz:
"-A vida continua e se entregar é uma bobagem."

Já que você não está aqui,
O que posso fazer é cuidar de mim.
Quero ser feliz ao menos.
Lembra que o plano era ficarmos bem?

"-Ei, olha só o que achei: cavalos-marinhos."

Sei que faço isso pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando tudo embora.



type=text/javascript> não reparem; ando meio nostálgico esses dias.deve ser a idade... src="http://pagead2.googlesyndication.com/pagead/show_ads.js" type=text/javascript>

Escrito por Tertu às 09h31
[] [envie esta mensagem] []





 
Não fique vagando ora para um lado, ora para outro, em busca de uma “boa oportunidade”. Você é “filho de Deus”. Para um “filho de Deus”, todos os lugares e todas as ocasiões são boas oportunidades para o autodesenvolvimento. Agora é o momento. Uma situação difícil constitui o “esmeril” que irá burilar a sua pessoa.

Livro: Mensagens de Luz



Escrito por Tertu às 09h29
[] [envie esta mensagem] []




bênção de sábado;estou numa sala de internet e consigo postar a belíssima letra de " eduardo e mônica"!  AXÉ!!!

Escrito por Tertu às 09h17
[] [envie esta mensagem] []




Eduardo e Mônica
(Renato Russo, 1986)

Quem um dia irá dizer que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer
Que não existe razão?
Eduardo abriu os olhos mas não quis se levantar
Ficou deitado e viu que horas eram
Enquanto Mônica tomava um conhaque
Noutro canto da cidade
Como eles disseram
Eduardo e Mônica um dia se encontraram sem querer
E conversaram muito mesmo pra tentar se conhecer
Foi um carinha do cursinho do Eduardo que disse
Tem uma festa legal e a gente quer se divertir
Festa estranha, com gente esquisita
Eu não tou legal, não agüento mais birita
E a Mônica riu e quis saber um pouco mais
Sobre o boyzinho que tentava impressionar
E o Eduardo, meio tonto, só pensava em ir pra casa
É quase duas, eu vou me ferrar
Eduardo e Mônica trocaram telefone
Depois telefonaram e decidiram se encontrar
O Eduardo sugeriu uma lanchonete
Mas a Mônica queria ver o filme do Godard
Se encontraram então no parque da cidade
A Mônica de moto e o Eduardo de camelo
O Eduardo achou estranho e melhor não comentar
Mas a menina tinha tinta no cabelo
Eduardo e Mônica eram nada parecidos
Ela era de Leão e ele tinha dezesseis
Ela fazia Medicina e falava alemão
E ele ainda nas aulinha de inglês
Ela gostava do Bandeira e do Bauhaus
De Van Gogh e dos Mutantes
Do Caetano e de Rimbaud
E o Eduardo gostava de novela
E jogava futebol-de-botão com seu avô
Ela falava coisas sobre o Planalto Central
Também magia e meditação
E o Eduardo ainda estava
No esquema "escola, cinema, clube, televisão"
E, mesmo com tudo diferente
Veio mesmo, de repente
Uma vontade de se ver
E os dois se encontravam todo dia
E a vontade crescia
Como tinha de ser
Eduardo e Mônica fizeram natação, fotografia
Teatro e artesanato e foram viajar
A Mônica explicava pro Eduardo
Coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar
Ele aprendeu a beber, deixou o cabelo crescer
E decidiu trabalhar
E ela se formou no mesmo mês
Em que ele passou no vestibular
E os dois comemoraram juntos
E também brigaram juntos, muitas vezes depois
E todo mundo diz que ele completa ela e vice-versa
Que nem feijão com arroz
Contruíram uma casa uns dois anos atrás
Mais ou menos quando os gêmeos vieram
Batalharam grana e seguraram legal
A barra mais pesada que tiveram
Eduardo e Mônica voltaram pra Brasília
E a nossa amizade dá saudade no verão
Só que nessas férias não vão viajar
Porque o filhinho do Eduardo
Tá de recuperação
E quem um dia irá dizer que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer
Que não existe razão?

Leia mais:


Escrito por Tertu às 09h16
[] [envie esta mensagem] []




ora,hora,

se a vida é agora:

vambora!

( tertu )



Escrito por Tertu às 09h08
[] [envie esta mensagem] []




cabeça que gira

ainda

pira.

irmã ansia

irmão auxilia.

sobrinha amor puro.

lembranças confusas.

noite/magia

amigos/empatia.

vôo solitário

amigos solidários.

noite vazia

dia sempre mais um dia.

( tertu )



Escrito por Tertu às 09h03
[] [envie esta mensagem] []




LUGAREJO

O trem muge o longe.
Os vagões levam toneladas de horas
e astros enferrujados.

Bicho de ferro,
atravessando a facão o lombo do dia,
enchendo de metálica melodia
a vida homens dali.


18.05.1961

Nasci num lugar pobre,
onde o hospital era longe,
onde era longe a estrada
e os anjos não conheciam.

Nasci mês de maio,
azul de tardes macias,
de pai José, mãe Maria.

Batizaram-me: Terra Prometida.
Terra pobre, onde a felicidade
passa longe, mas daqui eu a vejo
e todo o meu corpo brilha.


GINÁSIO

Dias de muito sol e biscoitos de vento,
Colubiazol e aparelho nos dentes,
amigdalite e bagunça nos ônibus.


LIÇÃO DE CITOLOGIA

A célula
é a concha
dentro da pérola.


INICIAÇÃO

Conheço o primeiro livro de poemas:
Eu,
de Augusto dos Anjos.

Meu pai o tem
entre tratados de odontologia,
sem capa, velho,
enferrujado.

Livro misteriosíssimo,
no qual a morte é o superlativo
síntese de tudo,
absoluta como minha preguiça
de ir ao dicionário decifrar vocábulos.


PASSEIO

Na entrada do cinema
o drops pode ser misto ou de hortelã.
O misto tem gosto de frutas,
o de hortelã de hortelã.

As pessoas são muitas pessoas.

Dentro do cinema,
quanto tudo é escuro,
são todos anônimos
e mesmo em inúmeros,
assim como são,
ficam uma só pessoa,
nos escuro,
como se não fosse ninguém.


QUANDO EU MORRER

Pai,
quando eu morrer,
ficarei rosa
como uma menina
(você não deve ralhar
ou querer que eu minta
porque tudo será exato
sem mesmo carecer de ensaio).

Quando eu morrer sou tranqüilo
como um príncipe
que beijasse a boca do nada
(você vai achar bonito
esse quadro de tintas longínquas).

Pensarão que sou uma menina,
um barco,
um pombo.

Todo o meu doce virá à tona.

Veja pai,
sou um mineral,
intacto e sem passado.


O TELEFONE E A METAFÍSICA

Acontece que
vais à caderneta de telefones
e ela que antes (sabias)
estava cheia de números e nomes
repentinamente
está vazia


De A a Z vazia.

Onde tudo e todos?
Roubaram os ossos do telefone,
que não te pode levar a lugar nenhum.

Perplexo,
descobres que
existir é deserrto.


O DRAGÃO

Semana que vem,
chega-te pelo correio a lua:
puro papelão,
que aos teus dedos
transmutará em loiça.

Não fosse a gripe
que me assolou esses dias,
não fosse a preguiça,
os livros e o sono,
eu te mataria um dragão.

Na entrada da tua vila,
deixaria o bicho,
pesado como uma hecatombe
(um hematoma na boca do estômago,
as asas imensas de bomba
imersas numa poça de sangue verde).

Ora, não te assustes,
sei que te acostumei com presentes mais delicados.

Mas não seria preciso guardá-lo:
telefonarias para o Departamento de Limpeza Urbana
avisando que um louco que te ama
deixou um sonho morto
na porta da tua casa.

 

poesias  de eucanaã ferraz



Escrito por Tertu às 14h56
[] [envie esta mensagem] []




foto de: http://sampacity.nafoto.net

Escrito por Tertu às 14h52
[] [envie esta mensagem] []




Vista da Cidade

Moradora da V.Brasilândia vê a cidade de sua janela.

08/03/2007 Publicada por Acauã
"da gente oprimida nas vilas, nas filas, favelas..."
 


Escrito por Tertu às 14h52
[] [envie esta mensagem] []




Oração da perfeição

Agora sei que recebi a Vida de Deus em minha vida através da vida de meus pais. Por isso, sou ao mesmo tempo filho de meus pais e filho de Deus. Eu sou perfeito porque o filho de Deus aloja dentro de si a Vida de Deus.

Masaharu Taniguchi



Escrito por Tertu às 14h47
[] [envie esta mensagem] []




Sophia de Mello Breyner Andresen


 

As amoras


O meu país sabe as amoras bravas
no verão.
Ninguém ignora que não é grande,
nem inteligente, nem elegante o meu país,
mas tem esta voz doce
de quem acorda cedo para cantar nas silvas.
Raramente falei do meu país, talvez
nem goste dele, mas quando um amigo
me traz amoras bravas
os seus muros parecem-me brancos,
reparo que também no meu país o céu é azul.



Escrito por Tertu às 14h45
[] [envie esta mensagem] []




 

Sophia de Mello Breyner Andresen



Escrito por Tertu às 14h43
[] [envie esta mensagem] []




paixão tardia:

amei você´

por um dia.

 ( tertu )



Escrito por Tertu às 14h20
[] [envie esta mensagem] []




 DA COLUNA DE AÍLTON MEDEIROS (jhla.edição,28/03/2007)

"Pois é

Em campanha pela sua anistia,quem desembarca aqui, quinta-feira,é o ex-ministro Zé Dirceu.

Vem participar de um debate sobre a Conjuntura Nacional,às 19h,na Assembléia legislativa"

 

Os natalenses não merecemos isso!!!



Escrito por Tertu às 06h40
[] [envie esta mensagem] []




um olhar,

tragédia

outro,

só comédia.

 

um olhar,

contido

outro,

só  tentação.

 

um olhar,

quarto escuro

outro,

imensidão.

 ( tertu )



Escrito por Tertu às 16h19
[] [envie esta mensagem] []




deuses

sedentos

renovam

seus unguentos.

 ( tertu )

 



Escrito por Tertu às 10h46
[] [envie esta mensagem] []




minha homenagem ao grande produtor guilherme araújo,morto recentemente.

leia a belíssima matéria sobre o mesmo em : http://waldirleite.blogspot.com



Escrito por Tertu às 10h45
[] [envie esta mensagem] []




21 de março de 2007 - 23:16

Guilherme Araújo: um enredo de euforia e mágoa


"Se eu não tivesse aparecido na vida deles naquele momento, Bethânia, Caetano, Gil e Gal não seriam nada nem nunca teriam saído da Bahia", disse Guilherme Araújo ao Estado, há dez anos. Releia a entrevista publicada em 17/7/1997

Norma Couri

Arquivo/AE
Guilherme Araújo com Dorival Caymmi e Gal Costa

RIO - Bethânia é uma cantora de pequenos teatros da Bahia, Caetano alegra a meninada tocando e compondo pelas ruas de Salvador ao lado de Gil e Maria da Graça Costa Pena Burgos, vulgo Gracinha, canta, de vez em quando, para um roda de amigos. Todos têm público e cachê pequenos, ilustres representantes dos artistas desconhecidos do Brasil e do mundo. Não se trata de truque de ilusionismo futurista como os muitos que animaram as festas mais badaladas do Rio até 85 - como um pôr-do-sol artificial no Copacabana Palace ou a lua falsa de prata pairando na janela. Trata-se do coelho que o antigo mago da noite carioca, Guilherme Araújo, retira da cartola quando brinca de Spielberg produzindo um De Volta para o Futuro tupiniquim. "Se eu não tivesse aparecido na vida deles naquele momento, Bethânia, Caetano, Gil e Gal não seriam nada nem nunca teriam saído da Bahia."

A cartola, em forma de bolo de aniversário com velinhas, existiu de fato e foi colocada na cabeça de Araújo em um dos bailes do Pão de Açúcar, que ele promoveu durante dez anos, desde 1978. Sua festa de aniversário de 50 anos no Copa entrou na novela Cambalacho. Guilherme Araújo vestia branco e rosa. Mas podia estar de chapéu preto e véu esvoaçante. Um lenço amarrado como o das lavadeiras portuguesas. Ou com uma grossa mecha preta ou dourada bem no meio dos cabelos.

Visionário que misturava Madonna com samba, marchinha e frevo, criador do Grande Gala Gay, articulador dos mais refinados palcos musicais e dos melhores bailes de carnaval da cidade, Guilherme Araújo pergunta: "O que seria do Brasil hoje, sem Bethânia, Caetano, Gil, Gal? "

Aos 60 anos, com 40 anos de shows nas costas, o inventor dos quatro baianos e incentivador dos Novos Baianos - Moraes Moreira, Pepeu, Baby Consuelo (que não era baiana) - assiste ao que chama de fim patético da noite do Rio. "A cidade acabou. " Amarga a era dos novíssimos baianos encabeçada por Daniela Mercury, uma "vulgaridade". E termina sozinho, depois de uma vida dedicada a quatro motores da MPB, sem os quais estaríamos hoje como numa casa sem geladeira, água na torneira ou ferro elétrico. "Fui abandonado por três, Bethânia, Gal e Gil, no momento em que começaram a ganhar mais dinheiro", diz. "Para o Caetano já não faço mais shows há oito anos, mas pelo menos ele nunca me renegou. "

Depois de dois enfartes, Guilherme Araújo interrompeu o livro de memórias que escrevia e reatou, ao enviar um retrato de Bethânia aos 25 anos e de um telegrama de pêsames pela morte da mãe de Gal, a ligação formal com as baianas. Mas trava na Justiça uma briga feia com Gil. Ele quer reaver os direitos fonográficos de 80 músicas compostas até 75, sobre as quais Guilherme Araújo tem 20% garantidos por contrato. "Gil é um comerciante, não tem caráter", amarga o ex-amigo.

Passando seis meses no apartamento comprado há dez anos em Nova York, ao lado do edifício Dakota onde John Lennon foi assassinado, e o resto do ano no casarão-museu da Rua Redentor, em Ipanema, decorado com espelhos com molduras antigas, sofás art déco forrados de pele de onça e tigre, bandeiras da ex-URSS e relíquias do tempo em que era o rei da noite carioca, Araújo lembra, critica e se diverte. Sempre acompanhado de três gatos, Eddie (homenagem ao ator Eddie Murphy), Tânia (homenagem à divulgadora Tânia Caldas depois de uma briga com a própria) e Guzzy, ele faz jus ao título que o livro de memórias terá, se for concluído: Nunca Fui Santa.

Nesta entrevista ao Estado, Guilherme Araújo relembra as noites cariocas das quais, segundo ele, "foi o inventor" e fala sobre o início da carreira de Bethânia, Gal, Gil e Caetano



Escrito por Tertu às 10h43
[] [envie esta mensagem] []




NOVO PROTESTO
Apelos contra tiros e pela paz
João Laet / Agência O DIA

rio de janeiro, hoje:o que fazer???



Escrito por Tertu às 10h34
[] [envie esta mensagem] []




para  acalentar nossa alma:os poemas de J.g. de araújo jorge.

Escrito por Tertu às 10h10
[] [envie esta mensagem] []




Os versos que te dou

Ouve estes versos que te dou, eu
os fiz hoje que sinto o coração contente
enquanto teu amor for meu somente,
eu farei versos...e serei feliz...
E hei de faze-los pela vida afora,
versos de sonho e de amor, e hei  depois
relembrar o passado de nós dois...
esse passado que começa agora...
Estes versos repletos de ternura são
versos meus, mas que são teus, também...
Sozinha, hás de escuta-los sem ninguém que
possa perturbar vossa ventura...
Quando o tempo branquear os teus cabelos
hás de um dia mais tarde, revive-los nas
lembranças que a vida não desfez...
E ao lê-los...com saudade em tua dor...
hás de rever, chorando, o nosso amor,
hás de lembrar, também, de quem os fez...
Se nesse tempo eu já tiver partido e
outros versos quiseres, teu pedido deixa
ao lado da cruz para onde eu vou...
Quando lá novamente, então tu fores,
pode colher do chão todas as flores, pois
são os versos de amor que ainda te dou.

(Poema de JG de Araújo Jorge
do livro "Meu Céu Interior" – 1934)

Que tal enviar esta poesia por e-mail ?
Preencha corretamente o quadro abaixo:



Seu Nome:

Seu Email:

Nome do Destinatário:

Email do Destinatário:

Sua Mensagem Pessoal:



 
 
Home

.......




Escrito por Tertu às 10h09
[] [envie esta mensagem] []




O verbo amar

Te amei: era de longe que te olhava
e de longe me olhavas vagamente...
Ah, quanta coisa nesse tempo a gente sente,
que a alma da gente faz escrava.

Te amava: como inquieto adolescente,
tremendo ao te enlaçar, e te enlaçava
adivinhando esse mistério ardente
do mundo, em cada beijo que te dava.

Te amo: e ao te amar assim vou conjugando
os tempos todos desse amor, enquanto
segue a vida, vivendo, e eu, vou te amando...

Te amar: é mais que em verbo é a minha lei,
e é por ti que o repito no meu canto:
te amei, te amava, te amo e te amarei!

(Poema de JG de Araujo Jorge
do livro -Bazar de Ritmos- 1935)



Escrito por Tertu às 10h08
[] [envie esta mensagem] []




 "É pau, é pedra, é o fim do caminho,
é um resto de toco, é um pouco sozinho,
é um caco de vidro, é a vida, é o sol
é a noite, é a morte, é um laço, é o azol...
São as águas de Março fechando o verão
é a promessa de vida no teu coração..."
Tom Jobim
 
e que março seja o prenúncio de "boas águas " em abril!
letra retirada do blog " bofiscandalo"
 


Escrito por Tertu às 06h44
[] [envie esta mensagem] []




Oração para contemplar a Imagem Verdadeira do homem

Deus criou o homem como Sua máxima realização. Por isso, todo homem, na sua Imagem Verdadeira é como Deus, é bem, é perfeição. Não há nenhum homem que seja imperfeito ou mau. Às vezes, o homem parece mau, mas é como a Lua encoberta pela nuvem. Parece que a nuvem está encobrindo a Lua, mas, na verdade, a Lua e as nuvens estão afastadas. O homem também parece ser mau, mas, na verdade, está afastado do mal. Por isso, eu acredito no bem de todos os homens. Muito obrigado.

Masaharu Taniguchi



Escrito por Tertu às 06h31
[] [envie esta mensagem] []




tudo passa

re

passa

trans

passa

com

passos.

(  tertu )



Escrito por Tertu às 09h54
[] [envie esta mensagem] []




as palavras vez por outra me confundem

as palavras vez por outra me confundem
tanto dizem ao dizer nada dizer
e se esvaziam a desvendar até aquilo que
em sendo não há como se o dizer

as palavras vez por outra me confundem
com jogos de encontra-e-esconde
que revelam mais se ocultam o que em
seu âmago (ir)revelado se esconde

e assim verso-a-verso dia-a-dia
no anverso e no avesso dos meus versos
alternando-se como à noite alterna o dia
as palavras vez por outra me confundem

Márcia Maia

márcia maia é poeta e edita o blog "tabuademares".



Escrito por Tertu às 09h50
[] [envie esta mensagem] []




Haverá dia
Em que os poetas se unirão e dirão:
Que triste talvez fosse a nossa criação
Se não fossem as epígrafes.
Em que os políticos se unirão e dirão:
Que triste talvez fosse a nossa criação
Se não fosse a História.
Que os jornalistas:
A compreensão dos fatos.
Em que os escritores:
A compreensão da vida.
Os políticos:
O poder de decisão.
Os poetas:
A compreensão da vida.
Em que todos:
A compreensão da vida.

Haverá dia na vida
Em que a vida
Encontrará amor
Conviverá a dor

Se fará poesia...

Eduardo Alexandre

 

eduardo alexandre (dunga) é dono do blog "almadobeco".



Escrito por Tertu às 09h48
[] [envie esta mensagem] []




"Renascer... eis a vida, o progresso incessante,
o eterno evoluir, eis a lei do Criador!
Eis do mestre Jesus, como luz rutilante
o ensino imortal no evangelho do amor.
Renascer... eis lei imutável, constante,
pela qual nosso "eu" no cadinho da dor,
em sublime ascensão pela luz deslumbrante,
subirá para Deus, nosso Pai e Senhor..."

Escrito em 1929 por Chico Xavier.

grande  chico  xavier ! lição para todos nós.



Escrito por Tertu às 09h42
[] [envie esta mensagem] []




menino pede esmola no cruzamento da av. paulista ( " a força da grana que ergue e destrói coisas belas..."

do fotoblog: http://sampacity.nafoto.net



Escrito por Tertu às 08h46
[] [envie esta mensagem] []




"Vivemos no mundo quadridimensional contido nos limites de tempo e espaço, mas este é um mundo fenomênico, e não o de existência verdadeira. Na realidade, somos todos habitantes do mundo de dimensões infinitas, ou seja, o mundo de Deus. "

Livro: Viver com Alegria — Seicho Taniguchi


Escrito por Tertu às 08h36
[] [envie esta mensagem] []




" o pirulito é um falo disfarçado " ( alex sens )

Escrito por Tertu às 07h48
[] [envie esta mensagem] []


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]